Últimas Notícias

13
ago

Docente de Medicina participa do 1º Simpósio de Flebologia

           Nos dias 02 e 03 de agosto, o Prof. Dr. Murillo Couto, docente do curso de Medicina da UNIFIPA, participou do 1º Simpósio de Flebologia (SIMPLEBO) no Teatro Municipal Paulo Moura (antiga Swift), em São José do Rio Preto. O docente ministrou a palestra “Desafios no tratamento da trombose venosa profunda em pacientes do SUS”. A médica residente Renata Buraschi Antunes apresentou “Relato de caso: trombose venosa profunda associada a esteroides anabolizantes”, no módulo “Caso Desafio”.               De acordo com o Prof. Dr. Murillo Couto, a Flebologia constitui um ramo da cirurgia vascular que está em franca expansão, com diversas opções disponíveis para o tratamento das patologias venosas.               Também estiveram presentes no simpósio os alunos da Liga Acadêmica de Cirurgia Vascular e Angiologia, que apresentaram relato de caso no módulo “pôster”, sob orientações do Prof. Dr. Murillo e do Dr. Gabriel Geromel.  
09
ago

Grupo reflexivo do 6º ano de Medicina tem palestra sobre a profissão após a graduação

         No dia 1º de agosto, a consultora estratégica e empresarial Cecília Negrini ministrou palestra para os alunos do 6º ano de Medicina da UNIFIPA/FAMECA sobre a importância do planejamento estratégico após a graduação. 47 alunos participaram da palestra em sala no Campus Sede da UNIFIPA. Ao final, a palestrante sorteou 15 exemplares do livro "O Poder do Óbvio", do qual é coautora.             Durante a palestra a consultora explicou que a preparação dos futuros médicos se faz necessária antes mesmo da formação universitária. Para ela, entender quais são e como resolver os problemas de seus pacientes são conceitos fundamentais para que se faça um atendimento assertivo e de qualidade. “A busca pela qualidade na formação não só científica, mas com elevados padrões morais e éticos, é a base para que se obtenha, como produto final, um bom médico, que atenda seus pacientes com alto padrão profissional e com elevado grau de resolutividade para a prevenção e cura das doenças, ao mesmo tempo não perdendo a empatia que rege a relação médico/paciente”, ressaltou Cecília.    
30
jul

Alunas apresentam trabalho em congresso

          As alunas Rafaella Baratta Colla e Ana Cláudia Scaraficci, do 2º ano do curso de Medicina da UNIFIPA, apresentaram no 11º Congresso Sul-brasileiro de Geriatria e Gerontologia, realizado de 25 a 27 de julho último, na cidade de Curitiba-PR, o trabalho “Abordagem interdisciplinar em paciente portadora da Síndrome de Werner: relato de caso”.               O trabalho foi realizado sob orientação da Profa. Dra. Nilce Barril e do Dr. Eduardo Marques.  
26
jul

UNIFIPA define programação dos 50 anos da Medicina/FAMECA

            O Centro Universitário Padre Albino/UNIFIPA divulgou a programação dos eventos comemorativos pelos 50 anos do curso de Medicina/FAMECA, que serão realizados em outubro próximo.               No dia 12 de outubro, a UNIFIPA/FAMECA ficará aberta para o ex-aluno visitar suas instalações a partir das 8h00, atividade denominada “Revivendo momentos”. Às 9h00 será enterrada a cápsula do tempo com o histórico da Fundação, do curso de Medicina/Fameca, do centenário do Padre Albino, jornais do dia, selo da festa de 50 anos, entre outros; às 10h00, plantio de 50 mudas de orquídeas em parceria com a Associação Orquidófila Catanduvense.               As comemorações serão encerradas com jantar comemorativo, a partir das 21h00, no Clube de Tênis Catanduva. Para aderir ao jantar os egressos devem acessar o link http://medicina.unifipa.com.br/19-jantar-da-medicina  História              O curso de Medicina/FAMECA da UNIFIPA nasceu dos ideais de Padre Albino. Preocupado com a promoção social, com a melhoria da condição de vida dos necessitados, especialmente dos doentes, conquistou o apoio da comunidade para a construção da Santa Casa de Misericórdia de Catanduva, em 1920, hoje denominada Hospital Padre Albino.             Mais tarde, direcionando atenção à formação escolar do jovem da cidade e região, empenhou-se no processo de instalação de escolas, surgindo, aí, a Fundação Padre Albino, em 1968, a partir da transformação da Associação Beneficente de Catanduva, para ser a mantenedora das faculdades.             Neste mesmo ano, um grupo de pró-homens da comunidade, liderados pelo Padre Albino, iniciou os procedimentos para a criação da Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA), autorizada a funcionar em 06 de junho de 1.969 pelo Conselho Federal de Educação. A faculdade foi instalada em prédio construído para ser hospital, na Rua Monte Aprazível, Vila Guzzo, onde hoje funciona o Colégio Catanduva. A primeira turma foi iniciada em 1970. No dia 01 de outubro de 1.974, antes mesmo de formar a sua primeira turma, a Faculdade de Medicina de Catanduva obteve seu reconhecimento oficial através do Decreto Federal nº. 74.630.             No final da década de 1970, o Hospital Emílio Carlos, destinado ao tratamento da tuberculose, foi desativado em função de mudanças ocorridas nas políticas de saúde pública do Brasil. A Fundação Padre Albino, em 1982, conseguiu do Governo Estadual a cessão do prédio, com cerca de 33.000 m2 de área construída. Em 1983, a FAMECA transferiu-se para o novo prédio e, dois anos mais tarde, iniciou-se a reativação do Hospital Emílio Carlos com a abertura dos ambulatórios de ensino e das enfermarias de clínicas. A partir de então, a Faculdade de Medicina de Catanduva passou a ter dois hospitais-escola – o Hospital Padre Albino e o Hospital Emílio Carlos.             Desde o seu reconhecimento, já graduou cerca de 2.766 médicos, alguns dos quais, atuam, hoje, como docentes da própria FAMECA.  

bcurso medicina


Rua dos Estudantes, 225
Cep: 15809-144 - Catanduva / SP
(17) 3311-3328

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO - UNIFIPA