Últimas Notícias

25
abr

UNIFIPA recebe Comissão do MEC para avaliação do curso de Medicina

             O Centro Universitário Padre Albino (UNIFIPA) recebeu na manhã deste dia 25 de abril a Comissão instituída pelo INEP-MEC para avaliação institucional externa do curso de Medicina.             A Comissão formada pelo Prof. Dr. Carlos Henrique Vianna de Andrade, professor da Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS) e da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), e pelo Prof. Dr. Ricardo Fernandez Perez, professor Titular da Universidade Federal do Paraná, se apresentou à Mantenedora, sendo recebida pelo vice-presidente da Diretoria Administrativa, Luiz Marcos Garcia; reitor da UNIFIPA, Dr. Nelson Jimenes; pró-reitor Acadêmico e de Graduação, Prof. Dr. Antonio Carlos de Araujo; Coordenadora do Instituto de Ciências da Saúde, Profª Drª Terezinha Soares Biscegli; Coordenador do curso de Medicina, Prof. Dr. Jorge Luís dos Santos Valiatti; Prof. Dr. Ayder Anselmo Gomes Vivi, coordenador da Área Clínica, e Prof. Me. Ricardo Alessandro Teixeira Gonsaga, coordenador do Internato.             Os dirigentes deram as boas-vindas à Comissão e falaram sobre a Fundação e a UNIFIPA. A Comissão fica em Catanduva até esta sexta-feira, 26.   A Comissão             Carlos Henrique Vianna de Andrade possui graduação em Medicina pela Fundação Educacional Lucas Machado (1973), mestrado em Medicina (Cardiologia) pela Universidade Federal de São Paulo (1982) e doutorado em Medicina (Cardiologia) pela Universidade Federal de São Paulo (1985). Atualmente é professor da Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS) e da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS) lecionando Cardiologia e História da Medicina nas duas universidades. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cardiologia, História da Medicina e exame clínico do coração. Tem livros publicados de Exame Clínico do Coração e História da Medicina e capítulos de livros sobre história da Bioética, Hipertensão arterial e Doença de Chagas. É coordenador da Residência Médica em Cardiologia do Hospital das Clínicas da UNIVÁS. É avaliador ad hoc do INEP-MEC.             Ricardo Fernandez Perez possui graduação em Medicina/Universidad de La Republica (1991), mestrado em Ciências (Fisiologia Humana) pela Universidade de São Paulo (1994) e doutorado em Ciências (Fisiologia Humana) pela Universidade de São Paulo (1997). Estágio de pós-doutorado de um ano na Yale University Medical School (USA), na área de Fisiologia Renal. Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Fisiologia, com ênfase em Fisiologia Renal, atuando principalmente nos seguintes temas: secreção de prótons em epitélio renal: mecanismos e regulação; efeito da suplementação com óleo de peixe na função renal; avaliação de estado de hidratação e performance em árbitros de futebol. Já foi coordenador do programa de pós-graduação em Fisiologia da UFPR (2010-2014) e do programa em Biologia Celular e Molecular da mesma instituição (2006-2008). Tem atuado como representante da categoria dos professores associados junto aos Conselhos Superiores da UFPR e atualmente é representante do Setor de Ciências Biológicas junto a estes mesmos Conselhos. Desde 2007 é avaliador do sistema BASIS, vinculado ao INEP, participando de comissões de avaliação de cursos de Medicina.   Medicina             A Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA) nasceu dos ideais de Padre Albino. Preocupado com a promoção social, com a melhoria da condição de vida dos necessitados, especialmente dos doentes, conquistou o apoio da comunidade para a construção da Santa Casa de Misericórdia de Catanduva, em 1920, hoje denominada Hospital Padre Albino. Mais tarde, direcionando atenção à formação escolar do jovem da cidade e região, empenhou-se no processo de instalação de escolas, surgindo, aí, a Fundação Padre Albino, em 1968, a partir da transformação da Associação Beneficente de Catanduva em Fundação Padre Albino, mantenedora das faculdades.             Neste mesmo ano, grupo de pró-homens da comunidade, liderados por Padre Albino, iniciou os procedimentos para a criação da Faculdade de Medicina de Catanduva. Em 06 de junho de 1.969, o Conselho Federal de Educação (CFE) autorizou o funcionamento da faculdade e a primeira turma foi iniciada em 1970. No dia 01 de outubro de 1.974, antes mesmo de formar a sua primeira turma, a Faculdade de Medicina de Catanduva obteve seu reconhecimento oficial através do Decreto Federal n0. 74.630. Neste ano de 2019 o curso de Medicina da UNIFIPA completa 50 anos.
24
abr

Educação a Distância promove primeiro encontro do curso de Tecnologias da Informação e Comunicação

         No dia 17 de abril, a Pró-Reitoria de Educação a Distância (PROEAD) do Centro Universitário Padre Albino (UNIFIPA) promoveu o primeiro encontro presencial do curso Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) aplicadas ao Ensino Superior para 26 docentes da instituição. Na abertura, a Profa. Dra. Maria Rita Braga, Pró-Reitora de Educação a Distância, falou sobre a importância da aplicação de tecnologias de informação e comunicação como recurso educacional.               Após a apresentação do vídeo institucional da PROEAD, a Profa. Ma. Márcia Helena Magati Antonioli fez uma dinâmica de integração com os docentes. Na sequência, o Prof. Me. José Claudinei Cordeiro falou sobre os primeiros passos para a utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e sobre o Moodle, ferramenta do tipo Learning Management Systems (LMS), Sistemas de Gestão de Aprendizagem baseado em ambientes virtuais.               Os docentes participantes realizarão atividades práticas de utilização do AVA Moodle-UNIFIPA no decorrer de todo o curso. O próximo encontro presencial está previsto para o dia 25 de maio.  
24
abr

UNIFIPA adquire moderno microscópio para pesquisa

  O Centro Universitário Padre Albino/UNIFIPA adquiriu moderno microscópio biológico invertido destinado ao Laboratório de Cultura de Células. O investimento beneficiará os cursos de Biomedicina, Enfermagem, Farmácia e Medicina no desenvolvimento de estudos, trabalhos e pesquisas científicas, além da ampliação e modernização da infraestrutura acadêmica.   De acordo com a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da UNIFIPA, Profa. Dra. Ana Paula Girol, o novo aparelho será fundamental no atendimento à pesquisa institucional. “Através do microscópio, será possível realizar diversas pesquisas com culturas de células, além da observação da viabilidade e proliferação celular. Os trabalhos com culturas de células auxiliam em testes de novos medicamentos para diferentes condições clínicas, como processos inflamatórios e tumorais”, explica.   O microscópio modelo ‘INV 100 – PH’ foi criado para análises de biologia e microbiologia em sistema de óptica plana cromática com correção ao infinito. Sua estrutura totalmente estável, objetivas com contraste de fase, tubo trinocular e platina de grande tamanho é ideal para utilização em análises de células vivas e tecidos. 
24
abr

Alunos do curso de Medicina participam de Congresso sobre Educação Médica

            Alunos do 3º e 6º anos do curso de Medicina da UNIFIPA vão participar do 1º Congresso Caipira de Educação Médica, de 25 a 27 de abril, em São José do Rio Preto. O tema escolhido por eles foi o Programa de Mentoria,  implantado no início deste ano no curso.               As alunas do 3º ano Thais Babetto Pastana, Paula Craice, Lígia Gattás, Giovanna Latorraca, Yasmin Stein, Maria Júlia Parizati e Bianca Braga falarão sobre o impacto da Mentoria na formação dos estudantes da UNIFIPA/FAMECA. “Por ser um congresso de educação na área médica decidimos pelo Programa de Mentoria, um projeto novo que estamos adorando. Fizemos isso para mostrar que o nosso curso está sendo bem amplo na metodologia ativa. Nos surpreendeu muito”, contou a aluna Thais Babetto Pastana.                Já Marcela Lusia de Sousa Ervolino, Gabriel de Carvalho Adami e Luiz Augusto Nacarato Júnior, do 6º ano, irão falar sobre Mentoria na Medicina: um relato de experiência como Mentor Júnior. “O que nos interessou nisso é que o Programa de Mentoria não é novo apenas aqui no nosso curso, mas novo também na Medicina. Porque isso não agrega apenas para quem recebe a mentoria, mas para compartilhar nossa experiência como aluno sexto ano. Depois que o programa começou vimos que ele ajuda aos alunos, tem sido importante, porque trata de assuntos que você não vê normalmente na graduação. O programa de mentoria agrega não só na nossa formação acadêmica, mas também como médico profissional”, disse a mentora  Marcela Lusia de Sousa Ervolino.   Sobre o Congresso             O Congresso Caipira de Educação Médica é um evento descentralizado, com múltiplas atividades simultâneas, que visa discutir e estimular o crescimento das boas práticas de ensino nas escolas médicas.  

bcurso medicina


Rua dos Estudantes, 225
Cep: 15809-144 - Catanduva / SP
(17) 3311-3328

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO - UNIFIPA